Fevereiro Verde: mês de conscientização ao câncer de vesícula biliar 

O câncer de vesícula biliar representa cerca de 3% dos tumores acometidos do trato do aparelho digestivo. É considerado um câncer raro, atingindo cerca de menos de 10% da população mundial. Além disso, cerca de 90% dos tumores na região são adenocarcinomas e são iniciados nas células com propriedades semelhantes às glândulas que fazem parte do revestimento das superfícies internas e externas do corpo, principalmente do interior do sistema digestivo. 

A  incidência  é de 2 a 3  vezes  maior em  mulheres, na faixa etária acima dos 65 anos, fator que pode ser  explicado  pela  maior  exposição  ao  estrógeno  e  formação  de cálculos  biliares no organismo feminino. Entre os fatores de risco está a  presença  de  inflamação  crônica  ocasionada  por colelitíase, a calcificação  da  vesícula  biliar  (vesícula  em  porcelana), pólipos  da  vesícula  biliar  maiores  que  1 cm,  infecção  tifóide  crônica,  colangite  esclerosante primária,  doença  inflamatória  intestinal, tabagismo, ingestão  de alimentos fritos, história  familiar,  síndrome  de  Mirizzi  e  refluxo  biliar.

O câncer de vesícula biliar apresenta uma dificuldade em ser diagnosticado precocemente. Fator explicado por sua localização sendo mais profunda no corpo, assim a  doença avança muitas vezes sem  ser vista ou descoberta durante um exame de rotina. Além disso, não há exames de sangue específicos que consigam detectar o tumor.

O câncer de vesícula biliar, além de raro, é ainda pouco discutido. Por isso, o ‘Fevereiro Verde’ é dedicado à conscientização sobre a doença. É importante o acesso às informações, devido a taxa de cura aumentar com o diagnóstico precoce. Cuide-se, mantenha seus exames em dia e consulte um médico regularmente!

Quais são os sintomas?

Os sintomas do câncer de vesícula biliar, na maioria dos casos, apresentam sintomas já em estágio avançado. Entre os mais comuns estão: 

  • Dor abdominal;
  • Náuseas e Vômitos;
  • Icterícia;
  • Nódulos no abdômen.

Contudo, a doença também apresenta não tão comuns, mas podem aparecer. São eles:

  • Perda de peso;
  • Inchaço no abdômen;
  • Febre;
  • Urina escura;
  • Fezes claras;
  • Perda de apetite;
  • Prurido intenso.

Qual é o tratamento?

Após o diagnóstico, feito com o auxílio da junção dos exames de imagem (como ecografia, ressonância magnética e tomografia computadorizada), testes de função hepática e da vesícula biliar, marcadores tumorais e exame anátomo-patológico da vesícula biliar,  é possível fazer a retirada por laparotomia aberta ou videolaparoscópica. 

Sendo assim, é possível indicar um melhor tratamento para cada caso. Entretanto, na maioria deles, o tratamento é por meio cirúrgico. 

Há formas de prevenção? 

A melhor forma de prevenir o câncer de vesícula biliar é com hábitos saudáveis, como manter uma alimentação saudável aliada à prática de atividades físicas e a realização de consultas de rotina e exames regulares. Cuide-se!

Sobre a Clínica Cirúrgica Taguatinga 

A Clínica Cirúrgica Taguatinga é especializada em doenças relacionadas ao aparelho digestivo, bem como cirurgias gerais e torácicas, além de diversas outras especialidades médicas. Agende sua consulta e previna o câncer de vesícula biliar. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Veja também:

Centro Digestivo de Brasília | Consultas, exames e cirurgias

Cirurgias

Cirurgia do Aparelho Digestivo
Cirurgia Geral
Cirurgia Plástica
Cirurgia Torácica
Coloproctologia

Consultas

Gastroenterologia
Endocrinologia
Nutrologia
Nutrição
Proctologia

Exames

Endoscopia
Colonoscopia
Manometria

Menu