Vesícula biliar: quais doenças podem atingir este órgão?

O sistema digestivo conta com inúmeros órgãos que têm propriedades específicas, como o esôfago, o estômago e o intestino. A vesícula biliar é um órgão do sistema digestivo com grande prevalência de patologias. Está localizada na parte superior direita do abdômen, logo abaixo do fígado. Sendo semelhante a uma pêra, este órgão armazena a bile, substância produzida pelo fígado e que contribui para a digestão, principalmente na quebra e absorção da gordura.

Quando falamos em vesícula biliar, automaticamente relacionamos o órgão aos cálculos que se acumulam na região. Popularmente conhecidos como “pedras na vesícula”, eles surgem devido a um desequilíbrio na concentração da bile, o que dá início a formação de cristais. Abaixo, o que causa esta e outras doenças que podem atingir a vesícula biliar.

Câncer da vesícula biliar

Considerado raro, com menos de 150 mil casos no Brasil, o câncer de vesícula biliar é um tipo de tumor maligno que se origina nas células deste órgão e que, nos estágios iniciais, não provoca qualquer tipo de sintoma. Por isso, em muitos casos, é diagnosticado em fases mais avançadas, quando a doença já afetou outros órgãos, como o fígado, provocando diversos sintomas. Diversos estudos apontam que cálculos únicos e grandes podem ser a longo prazo um indutor desta doença maligna.

O principal tipo de tratamento para o câncer de via biliar é a cirurgia, em especial nos casos em que o tumor está localizado, não tendo se disseminado para os órgãos próximos. Também são indicadas a radioterapia e a quimioterapia, de forma isolada ou combinada. Nos casos em que a doença está muito avançada, são aplicados tratamentos paliativos para aliviar os sintomas.

Colecistite

A colecistite é a inflamação da vesícula biliar, podendo ser aguda, com sintomas intensos e de rápida piora, ou crônica, com sintomas mais leves e que se arrastam por semanas a meses. É uma condição comum, tende a afetar mais frequentemente as mulheres do que os homens, e torna-se mais comum com a idade. Na maioria dos casos, a colecistite é causada por um cálculo biliar bloqueando o fluxo da bile da vesícula para o intestino.

A condição geralmente começa de repente, no caso da colecistite aguda, com dor nas áreas superior ou superior-direita da barriga. O tratamento consiste, geralmente, em analgésicos para aliviar a dor e antibióticos. Eventualmente pode ser necessário remover a vesícula biliar cirurgicamente em caráter de urgência. Nos casos crônicos com cálculos existe a indicação de cirurgia para se evitar as complicações, que geralmente são graves. A indicação principal é a cirurgia videolaparoscópica que tem grandes benefícios no tratamento.

Pólipos na vesícula biliar

Um pólipo na vesícula consiste em uma alteração que, em aproximadamente 95% dos casos, é benigna. Porém, há uma pequena chance de ser maligna. Os pólipos entre 5 mm e 8mm devem ter acompanhamento pelo exame de US a cada 6 meses por 2 anos e a cada ano por mais 3 anos para verificar sua estabilização de crescimento, os maiores que 8mm, já tem indicação cirúrgica.

Por não apresentar sintomas, muitas vezes o pólipo na vesícula é descoberto por acidente durante exames de ultrassonografia abdominal e tratamentos para cólicas ou pedras na vesícula, por exemplo. Apesar de em muitos casos não oferecer riscos, o pólipo pode causar câncer na vesícula.

Colangite esclerosante

Com incidência de aproximadamente um caso para 100 mil habitantes, a colangite esclerosante é uma doença crônica no fígado, progressiva, que causa o fechamento e a inflamação dos canais biliares. Esta doença afeta os ductos biliares, dentro e fora do fígado, levando a retenção de bile nas células, o que desencadeia fibrose e posteriormente cirrose.

Sua causa não é conhecida, mas provavelmente está relacionada com o sistema imune do corpo. O diagnóstico é baseado nas manifestações clínicas, alterações laboratoriais, e principalmente, por alteração em exames radiológicos que visualizam várias estenoses dos canais biliares, dentro e ou fora do fígado.

Colelitíase

Mais conhecida como “pedra na vesícula”, a colelitíase é uma doença muito comum, com mais de dois milhões de casos por ano no Brasil. Trata-se da presença de “pedras”, isto é, cálculos no interior da vesícula biliar, devido ao acúmulo de bilirrubina ou de colesterol no local. Causa obstrução da via biliar e pode levar ao aparecimento de alguns sintomas, como dor no estômago, costas, vômitos e suor excessivo, por exemplo. Devemos ressaltar as principais complicações que podem aparecer caso se postergue o tratamento e que são geralmente graves e trágicas: Pancreatite aguda biliar, colecistite aguda, perfuração da vesícula biliar, íleo biliar com obstrução intestinal, além do câncer da vesícula biliar a longo prazo.

Mais de 80% dos pacientes com pedra na vesícula são assintomáticos. O restante apresenta sintomas que variam desde dores características até colecistite e colangite, complicações que cursam com risco de vida. A cólica biliar é o sintoma mais comum.

Como prevenir as doenças que atingem a vesícula biliar?

De forma geral, ou seja, assim como para evitar as diversas doenças citadas neste artigo e as outras que atingem o corpo, é importante avaliar os hábitos de vida. Portanto, considere:

  • Manter um peso saudável;

  • Se alimentar corretamente, ingerindo legumes, verduras e frutas;

  • Praticar atividades físicas de forma regular;

  • Realizar um check-up médico anualmente.

Tratamento no Distrito Federal

Há 36 anos, a Clínica Cirúrgica Taguatinga atende pacientes que buscam por tratamentos cirúrgicos profissionais, a fim de solucionar doenças relacionadas ao aparelho digestivo. Agende sua consulta em Taguatinga Norte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Veja também:

Centro Digestivo de Brasília | Consultas, exames e cirurgias

Cirurgias

Cirurgia do Aparelho Digestivo
Cirurgia Geral
Cirurgia Plástica
Cirurgia Torácica
Coloproctologia

Consultas

Gastroenterologia
Endocrinologia
Nutrologia
Nutrição
Proctologia

Exames

Endoscopia
Colonoscopia
Manometria

Menu